Laudo da perícia deve apontar se padre foi envenenado com chumbinho em MG

O laudo da perícia da Polícia Civil deve apontar em até 30 dias se o padre Paulo de Oliveira Nogueira Costa, o Paulinho da Canção Nova, de 41 anos, e a mãe Adelaide Nogueira, de 81 anos, foram envenenados com chumbinho, que é um tipo de veneno para ratos. Os dois foram internados após no sábado (27) após ingerirem carne comprada em um açougue de Ouro Fino (MG), e um inquérito foi aberto para investigar o caso.

Paulinho da Canção Nova visitava a mãe no distrito de Crizólia, quando os dois passaram mal após o almoço de sábado. Eles foram atendidos no Hospital de Ouro Fino, mas o padre precisou ser transferido para um hospital de Pouso Alegre (MG).

Um irmão do padre, que não quis dar entrevista, disse à equipe de reportagem da EPTV Sul de Minas, afiliada da Rede Globo, que foram encontradas bolinhas identificadas como chumbinho na carne do almoço. Ainda no hospital, a mãe deles contou o que aconteceu.

“A gente ia almoçar e eu senti mal no momento. Aí eu fui para o quarto, o padre me levou, e eu já comecei a vomitar, a sentir mal. Mas aí a menina minha falou: ‘Mãe, o padre também está ruim, está ruim aqui, está vomitando”.

Paulinho está internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI). Ele chegou ao hospital desacordado e apresentando arritmia cardíaca. Apesar da gravidade do caso, os médicos dizem que ele não corre risco de morrer.

Laudo da perícia deve apontar se padre e a mãe foram envenenados (Foto: Reprodução/EPTV)Laudo da perícia deve apontar se padre e a mãe foram envenenados (Foto: Reprodução/EPTV)

Laudo da perícia deve apontar se padre e a mãe foram envenenados (Foto: Reprodução/EPTV)

O padre Roger Luís esteve no hospital e mandou uma mensagem de voz para a família, tranquilizando sobre a situação.

“Agora ele já está bem melhor. A gente conversou bastante, riu. Ele está daquele jeitinho dele mesmo, graças a Deus”, disse.

A Polícia Militar informou que três animais da casa morreram. O dono do açougue onde a carne teria sido comprada não quis comentar o caso. A Vigilância Sanitária informou que não foi acionada pela polícia e que não vai vistoriar o local, porque o açougue tem alvará e funciona dentro das normas.

A Canção Nova divulgou uma nota oficial sobre o ocorrido. Confira:

“No último sábado (27/01), o missionário da Comunidade Canção Nova, padre Paulo de Oliveira Costa (pe. Paulinho), 41 anos, e sua mãe, Adelaide Nogueira Costa, 81 anos, sofreram uma intoxicação alimentar por envenenamento. Tudo indica que foi causa acidental, porém a perícia da Polícia Civil está fazendo a devida investigação para esclarecer o ocorrido.

Padre Paulinho estava em visita à família na sua cidade natal, Ouro Fino (MG), no Distrito de Crisólia, e, no próximo mês, fevereiro, irá em missão para Portugal. O sacerdote e sua mãe ainda estão hospitalizados e fora de perigo”.

G1

Deixe seu comentário