Mulher é morta a facadas e PM prende suspeito do crime

A lavradora Maria Aparecida de Araújo Teixeira, de 49 anos, estava sozinha na casa da fazenda onde trabalhava, quando uma pessoa arrombou a porta, entrou e a matou com golpes de faca. A perícia da Polícia Civil constatou várias perfurações no tronco e nas costas de Maria. Entre os braços da vítima havia uma arma de fogo, que não estava municiada e que não foi reconhecida pelo companheiro dela.
Nenhum pertence foi roubado.
Após cometer o crime, o autor fugiu em um veículo Gol, com placas de Piedade de Caratinga, do companheiro da vítima, que estava na propriedade rural. Conforme registrado pelas imagens das câmeras de segurança do local, o criminoso fugiu no carro mas o abandonou na rodovia, em frente a um loteamento de Piedade de Caratinga.
A Polícia Militar esteve no local e levantou informações. Diversas diligências foram realizadas e, rapidamente, o principal suspeito foi identificado. Trata-se de Marcelo Oliveira, de 35 anos, enteado de Maria.
De acordo com Tenente Anderson, Marcelo e a madrasta chegaram a trabalhar na mesma fazenda. Meses atrás, ele teria a ameaçado, caso fosse demitido, tendo em vista que ela havia o denunciado por perturbação e uso de drogas. Depois de algum tempo, os patrões o demitiram.
Além destas ameaças, a PM verificou que a pessoa que cometeu o crime conhecia o imóvel, os acessos ao local (com maior fragilidade na segurança) e sabia do sistema de câmeras.
Marcelo foi detido ainda na manhã desta quinta-feira, na casa dele, na região central de Piedade de Caratinga. Em conversa com os militares ele entrou em contradição ao informar onde estava e o que fazia no momento do delito. Algumas testemunhas não confirmaram a versão informada por ele.
O jornalismo do Super Canal conversou com o suspeito. Em entrevista Marcelo negou a autoria do crime. Ele confirmou apenas que teve desavenças com a vítima mas que tudo foi resolvido. Marcelo disse que foi a um bar, próximo à residência dele, consumiu uma dose de bebida alcoólica, em seguida comprou maconha para uso próprio e depois retornou para casa e ficou assistindo televisão.
As mãos dele estavam machucadas. Nossa reportagem questionou o que havia acontecido e ele alegou que as feriu trabalhando com madeira.
Consta no Boletim de Ocorrências que, pela manhã, Marcelo não trabalhou mas se sujou de verniz. A polícia acredita que, possivelmente, ele utilizou o produto para dificultar a identificação de sangue.
TV Super Canal de Caratinga – parceiro do Plantão Policial

Deixe seu comentário