“Eu estou chocado que existam cristãos celebrando o Halloween”, diz ex-bruxo

No mês de outubro, as celebrações de Halloween (“Dia das Bruxas”) começam a encher escolas, empresas, lares e até mesmo algumas igrejas e isto tem sido motivo de alegria para líderes satanistas, como é o caso do fundador da ‘Igreja de Satanás’, Anton LaVey.

“Estou feliz que os pais cristãos deixem seus filhos adorarem ao diabo pelo menos uma noite no ano. Bem-vindo ao Halloween”, declarou o satanista em certa ocasião.

“Estamos empenhados em nos apressar para honrar o diabo de muitas maneiras. Não vemos nenhum mal no Halloween, porque pensamos que é divertido. Nós pintamos nossos rostos, usamos nossos fantasias inocentes – até mesmo as igrejas ficam decoradas com abóboras para Halloween. Essas ações são como dar a licença do demônio, dizendo: ‘Aqui está minha igreja. Você pode ter isso”, acrescentou o líder satanista.

A declaração de Lavey foi citada pelo evangelista e ex-bruxo John Ramirez em um artigo para o site ‘Charisma News’, com o objetivo de alertar os cristãos de que o Halloween não é uma festividade tão inocente como muitos imaginam.

“[Quando celebramos o Halloween] Pensamos que como ‘não estamos realizando rituais demoníacos’ ou ‘sacrifícios humanos’, ainda estamos em condições seguras, mas você sabia que assim que você se vestir com uma fantasia de ‘Dia das Bruxas’ ou se pintar para isso, está fazendo um convite ao diabo? Porque ao fazê-lo, você e sua família estão se dedicando a comemorar o feriado do diabo. Você acabou de fazer um pacto com o inimigo, e você já está sacrificando seus filhos espiritualmente e mudando suas identidade, quando os veste daquele jeito”, alertou Ramirez.

Pastor John ainda se lembra da época que atuava como bruxo e afirma que naqueles tempos sempre valorizou o Halloween.

“Quando éramos adoradores do diabo, o Dia das Bruxas foi muito especial para nós e esperávamos celebrá-lo porque conhecíamos as implicações e o poder das trevas por trás daquela noite. É muito diferente de todas as outras noites no mundo da feitiçaria. Perguntar a importância do Halloween para satanistas é como perguntar a um cristão: ‘O quão importante é a sexta-feira santa e o domingo da ressurreição para você?’. Halloween tem muito peso e importância para aqueles que habitam no lado da escuridão”, contou.

“Lembro-me dos dias que antecediam o Dia das Bruxas. Nós, adoradores do diabo recebíamos nossas instruções do mundo demoníaco sobre o que devia ser feito e sabíamos que aquela seria uma longa noite. Eu dormia o dia todo para descansar e estar pronto para a meia-noite, para que eu pudesse liberar o inferno no mundo até as primeiras horas da manhã seguinte”, acrescentou.

Ramirez explicou que muitas igrejas que celebram o Halloween mudam o nome da festividade na tentativa de “amenizar” o escândalo que ela poderia causar entre as pessoas, mas alertou que isto não tem validade se a intenção continua a mesma.

“Algumas igrejas removem a palavra ‘Halloween’ e em vez disso a chamam de ‘colheita’, mas seus membros continuam se vestindo com fantasias, dando doces e balançando maçãs. Isto entristece o meu coração. Esta tentativa de ‘afastar’ este ‘feriado’ não está adiantando em nada”, explicou.

Ramirez ainda rebateu a justificativa de igrejas que alegam celebrar a ‘colheita’ (Halloween disfarçado) com uma finalidade “evangelística”.

“Se estas igrejas estão tentando usar certas celebrações seculares para fins evangelísticos, para ganhar almas, aqui está a minha proposta como pastor: eu promoveria uma noite de cinema bíblico com pipoca e refrigerantes para crianças e adultos e convidaria amigos e familiares não cristãos”, disse.

“Minha intenção com este evento seria expor a origem e os perigos do Dia das Bruxas, depois transformá-la em uma ótima noite de cinema, com um pequeno ensinamento da Palavra de Deus sobre Seu amor e a obra acabada da cruz, depois do filme. Finalmente, eu faria apelo para quem quisesse se entregar a Jesus e tornaria aquela noite ainda mais especial para que todos se lembrassem dela”, afirmou. “A única colheita que devemos celebrar é a colheita de almas”.

Para muitos que celebram o Dia das Bruxas, essa celebração acontece até o primeiro dia de novembro, que também é conhecido como o Dia de Todos os Santos, que antecede o Dia de Finados, mas segundo Ramirez “não há nada de santo nisso – é demoníaco”.

“Estou surpreso com a forma como o mundo abraça este feriado, porque o Dia de Todos os Santos é enganador. Nós temos uma imagem em nossas mentes que parece sagrado, mas não há nada de inocente sobre isso. Este feriado é praticado em toda a América do Sul e Central e partes distantes do mundo, e até mesmo nos Estados Unidos”, contou.

“Para a cultura espanhola, é chamado de ‘Dia de Muertos’, e eles celebram os mortos através de rituais e cerimônias e até visitas aos cemitérios. No YouTube mesmo podemos ver mais informações sobre do que se trata este dia. Este feriado não tem nada de santo, nem nada a ver com os santos”.

Mas como é possível combater essa escuridão como mensageitos das boas novas de Jesus? A pergunta contundente foi respondida por Ramirez ao final de seu artigo.

“Na Bíblia, quando o Senhor chama aqueles fiéis a Ele de ‘santos’, este termo significa que fomos santificados pelo sangue de Jesus Cristo e pela obra da cruz. Estamos separados para as boas obras e para glorificar a Deus”, lembrou o pastor.

“Como ministro, eu usaria o Dia de Todos os Santos para virar a mesa sobre o diabo e para celebrar a minha salvação e a salvação da minha família e entes queridos. Eu usaria isso como uma oportunidade evangelística na minha igreja para trazer pessoas não salvas para ouvir testemunhos da bondade de Deus e como Ele pode transformar suas vidas também. E naquela noite, eu daria ao diabo uma grande derrota em nome de Jesus, porque muitas almas seriam salvas”, finalizou.

Deixe seu comentário