Mulher com câncer contraria previsões dos médicos e dá à luz quadrigêmeos

Kayla Gaytran durante a gravidez dos quadrigêmeos

Engravidar de quadrigêmeos naturalmente já é muito difícil. Para quem está quem está fazendo quimioterapia, então, é raríssimo, mas não impossível. Kayla Gaytran foi diagnosticada com linfoma de Hodgkin em janeiro de 2016 e estava em remissão após cinco meses de quimioterapia quando descobriu que estava grávida de quadrigêmeos.

Ela contou em entrevista à revista “US Weekly” que os médicos tinham dito que ter um bebê depois da quimioterapia seria muito improvável. “Mas quando eu fiz o ultrassom havia quatro bebês lá”, contou Kayla, de 29 anos.

Os quatro bebês nasceram em 30 de dezembro
Os quatro bebês nasceram em 30 de dezembro Foto: Reprodução do Instagram

Em novembro, Kayla começou a perceber os sintomas do câncer novamente. “Ela estava com os gânglios inchando. E tinha o que é chamado de coceira do Hodgkin, que é basicamente uma coceira em todo o corpo”, disse o marido de Kayla, Charles, de 26 anos.

Uma biópsia confirmou que o câncer havia voltado. “Foi a pior notícia que eu já tive na minha vida. Ela é minha melhor amiga, minha esposa, a pessoa mais incrível que eu já conheci, e ouvir essas palavras partiram meu coração”, disse Charles.

Foi então que os médicos decidiram antecipar o parto dos quadrigêmeos. Lillian, Victoria, Charles e Michael nasceram de cesariana em 30 de dezembro, após 30 semanas de gestação. A mãe começou o tratamento imediatamente, e de acordo com a rede de TV “WKRN”, seu tratamento deve durar cerca de 16 meses.

Os médicos lhe deram uma chance de 50 por cento de sobrevivência nos próximos cinco anos. Kayla está determinada a viver. “Eu tenho seis filhos, e eu tenho o meu marido, e eles são realmente o que está me empurrando para frente”, afirmou Kayla, que tem duas filhas além dos quadrigêmeos, uma de 12 anos e outra de 2 anos.

Deixe seu comentário