Governador do AM é acusado de pedir ajuda a facção para se reeleger

naom_56b3dcb01fe86

O governador do Amazonas, José Melo (PROS), foi acusado de pedir ajuda a criminosos de uma facção do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, para se reeleger nas eleições de 2014. O local foi palco de uma rebelião que acabou resultando em 56 detentos mortos  na última segunda-feira (2).

A conversa gravada entre o então subsecretário de Justiça do Amazonas, major Carliomar Barros Brandão, e o traficante José Roberto Fernandes Barbosa, um dos líderes da facção foi divulgada durante a campanha eleitoral pela revista Veja e pelo jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com informações do jornal O Globo, o traficante promete, no áudio, até cem mil votos para Melo não os “prejudique”. Em resposta, major Brandão diz que “ninguém vai mexer” com os criminosos.

“‘A mensagem que ele (governador) mandou pra vocês, agradeceu o apoio e que ninguém vai mexer com vocês, não”, diz, no áudio, o o ex-subsecretário.

Após o episódio, major Brandão foi exonerado do cargo, e o governador afirmou, por meio de nota, que iria investigar a “veracidade do conteúdo da gravação”.

Naom