Suspeito que tirou selfie com vítima de estupro publica carta e pede desculpas: “Foi zoação”

7lgppmyyke_483l1agkdw_file

O homem que tirou uma selfie ao lado da adolescente vítima de estupro coletivo na zona oeste do Rio se manifestou na noite desta terça-feira (31). Raphael Assis Duarte Belo, de 41 anos, enviou à páginaJacarepaguá Notícias RJ uma carta em que dá a sua versão sobre o acontecimento. Ele é foragido da Justiçae suspeito de estupro de vulnerável e produção de conteúdo pornográfico com menor de idade.

Sem título

Raphael é o homem que levou a adolescente para a casa em que ela morava com os pais, na zona oeste do Rio. Conforme publicado com exclusividade pelo R7, o suspeito disse ser agente comunitário e permaneceu no local com a família da vítima. Ao chegar à casa da vítima, o suspeito disse que ele a resgatara em Praça Seca. O homem contou que já a havia encontrado no local, mas que se preocupou com o estado de saúde dela após ver a repercussão do vídeo. Ele ainda acrescentou que tirou a jovem do local e a colocou dentro do próprio carro. A adolescente indicou a casa da família.

Na carta, dividida em nove partes e fotografada da tela de um computador, Raphael conta que estava na localidade no fim de semana em que aconteceu o estupro porque queria produzir uma matinê e teria que pedir autorização ao tráfico de drogas do local. Ele foi acompanhado de Raí, que já está preso por participação no crime, e encontrou uma casa abandonada. Raphael narra que encontrou a jovem nua, desacordada e sozinha na casa. Segundo ele, Jefinho, que seria o sétimo suspeito identificado do crime, avisou que ela estaria no local desde o dia do baile [sexta-feira].

A versão de Raphael diverge da versão dada pelo advogado de Raí e conta que foi este o responsável pela gravação do vídeo. Ele conta que no local só estavam os dois e Jefinho. Um vizinho também teria entrado no local para reclamar de um vazamento, e não tocado em momento nenhum na vítima. O suspeito diz que não fizeram com a vítima mais do que o registrado no vídeo divulgado nas redes sociais.

O homem reconhece que “não se deve zombar de uma pessoa naquele estado” e diz que é “uma pessoa normal, passivo [sic] de erros”. Ele ainda completa que “foi uma zoação, brincadeira” e nega ter feito qualquer “tipo de sexo” com a vítima. A carta, a partir daí, narra os fatos já da quarta-feira (25), dia em que o vídeo já havia sido divulgado e o caso já estava popular nas redes sociais.

Raphael diz que na hora do almoço um carro deixou uma mulher desacordada na calçada em que ele estava. O suspeito diz ter comprado água para a vítima e ajudado ela a recuperar os sentidos. Ele diz ter alimentado a menina e ouvido dos moradores que ela já tinha desmaiado duas vezes no mesmo dia. Raphael conta que não reconheceu ser a mesma mulher porque estava limpa e com os cabelos penteados. A adolescente teria se negado a ir a um hospital e disse que só queria descansar. Nesse momento, Raphael narra que a levou para a casa dele e deixou que ela tomasse banho.

O suspeito conta que só soube da real repercussão do caso quando saiu às ruas e foi confrontado com um amigo sobre a foto em que aparece ao lado da vítima. Segundo ele, deu um “total desespero” ao saber que a jovem era menor de idade. Ele levou a jovem para a casa e, ainda segundo a carta, contou aos pais que era o rapaz que aparecia na foto e pediu desculpas pelo episódio aos pais dela.

Ao fim da carta, Raphael se mostra arrependido de ter fotografado ao lado da vítima e diz que não parou de chorar até hoje. “Sempre fui um homem de recomeços e de ideias, mas recomeçar com 41 anos depois disso será muito difícil”, relata. O suspeito diz que irá se entregar à polícia porque não iria conseguir viver fugindo por algo que não fez. Por volta das 22h desta terça, ele ainda não havia se apresentado à DCAV (Delegacia de Atendimento à Criança e Adolescente Vítima), que investiga o caso.

Jornalfloripa

Deixe seu comentário