Timóteo: Você acredita? Prefeitura está autorizando colocação de obstáculos sobre os passeios na cidade.

zacanagem

Obstáculos sobre o passeio na avenida Acesita, no Primavera, autorizados pela prefeitura

Clique em “continue lendo” para você ver outros casos.

Alguns moradores de Timóteo vêm manifestando suas indignações com casos de colocação de obstáculos sobre os passeios da cidade, expulsando, para as quase sempre movimentadas e perigosas avenidas, os cadeirantes, mães com carrinhos de bebê, pessoas de compleição física avantajada e outros.

zzes

Estes moradores, na sua maioria, condenam os que colocam os obstáculos, com veemência, e consideram  um absurdo a atitude deles. Houve um caso em que um autor de uma ação desta alegou que, com a colocação do material, estaria impedindo motociclistas de transitarem sobre os passeios.

O Blog do Silas recebeu, na manhã desta segunda-feira,  imagens e reclamações de outro ponto da cidade onde o trânsito livre sobre o passeio está impedido por barras de ferro. É na avenida Acesita, no Primavera, altura do número 2025. Estivemos no local e fizemos uma descoberta. A ação foi apoiada pela prefeitura. Diz a internauta que enviou a imagem:

“Passando hoje cedo em uma casa de peças de moto que fica no bairro primavera, vi uma cena e me lembrei, na hora, de uma reportagem que, inclusive havia lido hoje mais cedo, sobre obstáculos no passeio, impedindo pessoas de transitarem normalmente. Inclusive ali é um passeio bem movimentado pelos pedestres que fazem caminhada ao longo do dia. Acho interessante divulgar essa falta de respeito com o cidadão”.

Procuramos a proprietária do imóvel em frente ao qual estão as barras e ela, muito educada, nos atendeu e disse que jamais permitiria a colocação daquelas barras sem a devida autorização da prefeitura. Pedimos para ver o documento autorizativo e ela prontamente nos mostrou permitindo, inclusive, que fotografássemos o documento.

Até aqui, certamente a maioria – ou quase todos – dos moradores que ficam indignados com isso não sabiam  que as pessoas que cerceiam com esse gesto a liberdade do livre ir e vir, em uma afronta flagrante à acessibilidade,  estão amparados pela prefeitura, ironicamente órgão a que as pessoas procuram recorrer para combater ações desta natureza.

O mesmo órgão que diz retirar do Centro Norte os vendedores ambulantes “porque eles atrapalham o livre trânsito nas calçadas”, é o mesmo  que autoriza atitudes que impedem o livre trânsito nas calçadas.

Resta à população, depois desta revelação – provada com a cópia de uma autorização – refletir sobre a melhor forma de condenar estes abusos, patrocinados pelo poder público.

A quem denunciar? Permitir a Colocação de obstáculos para impedir motociclistas de trafegarem sobre os passeios é colocar fogo no cavalo para matar os carrapatos. A quem denunciar?

Relembrando outro caso, desta vez no Quitandinha

Em Timóteo:  Salve-se quem puder? Desrespeito aos cadeirantes também no Quitandinha

 

DSC_1521

Depois de ver a nossa publicação sobre o caso de um supermercado no bairro São José que não levou em consideração a questão da acessibilidade no município e acabou contribuindo para prejudicar os cadeirantes quanto ao acesso ao estabelecimento pela avenida Castelo Branco, uma internauta nos comunicou que fato semelhante estava ocorrendo no bairro Quitandinha.

Ela  contou que foram fixados obstáculos bem em cima do passeio, na avenida Senador Milton Campos, próximo a um posto de combustível, no momento desativado. De acordo com a denunciante mesmo pessoas a pé teriam relativa dificuldade de passarem pelo trecho.

DSC_1523

Fomos ao local indicado e verificamos a existência dos obstáculos. No caso constatado o desrespeito às pessoas que se locomovem com o auxílio de cadeira de rodas, mães com carinho de bebê e pessoas de compleição física mais avantajada é flagrante. A situação afrontosa obriga estas pessoas a ocuparem a pista para seguirem caminho, expondo-as a riscos concretos de acidentes, em uma movimentada avenida, como mostra uma das imagens que ilustram esta matéria.

 Procuramos o autor da iniciativa e nos informaram que seria o proprietário de uma loja que está por ser inaugurada ali perto. O local estava fechado e não conseguimos contato. “O rapaz (dono da loja) disse que tinha autorização para fazer isso”, comentou um popular.