Convenção Batista Brasileira aceita oficialmente a sua primeira pastora

zenilda pastora
Zenilda Cintra é agora, oficialmente a primeira pastora da Convenção Batista Brasileira. Há anos outras convenções e igrejas batistas independentes consagram pastoras. Ana Paula Valadão, por exemplo, entre as mais conhecidas. Contudo, até o inicio deste ano a CBB não tinha nenhum caso e a resistência sempre foi muito grande, aliás continua sendo. Há decisão já causa muita polêmica.
Oficialmente, a CBB informa que não há nada explicito nos estatutos batistas contra uma mulher ser sagrada ministra do evangelho e que toda a expressão “homem” contida na declaração dos batistas é no sentido genérico do ser humano. A decisão sempre é das igrejas locais. Contudo, o limite sempre esteve presente. 
 
O precedente foi aberto pela OPBB – Ordem do pastores batistas do Brasil que reunidos na 94° Assembleia da Convenção Batista Brasileira decidiu aceitar como membro a pastora Zenilda. Aberto o precedente é questão de tempo para que novas igrejas locais abram espaço para pastoras que poderão ser aceitas pela OPBB. 
 
Expoentes  como o pastor Russel Sheed e o pastor Antônio Gilberto da AD são taxativos e afirmam que o pastorado feminino não é bíblico.

Deixe seu comentário